O professor da rede pública Arquidones Bites, secretário de Movimentos Populares e setoriais do PT de Goiás, foi preso nesta segunda-feira (31), após se recusar a retirar do seu próprio carro o adesivo com os dizeres “Bolsonaro genocida”.

A prisão foi informada pelo irmão dele, Arquivaldo Bites Leão. O professor presta depoimento, neste momento, na sede da Polícia Federal em Goiânia.

Segundo Arquivaldo Bites, o irmão foi abordado por policiais militares próximo de casa, em Trindade, na Região Metropolitana da capital. Os policiais disseram que a mensagem era calúnia contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
Arquidones ajudou a organizar as manifestações contra o governo federal em Goiânia, no fim de semana passado.

Confira o vídeo